domingo, 20 de junho de 2010

Crônicas da Minha Vida (145) + Devaneio + Conto



.: Devaneio :.


Há três anos, uma moça qual certa vez eu considerei como uma de minhas melhores amigas (senão a melhor) comentou que minha maior qualidade é a minha lealdade — lealdade para com meus amigos, para com minha família, para com minha mulher e para com aquilo em que eu acredito, em suma, lealdade. E eu fiquei muito feliz, afinal, lealdade é um dom raro em nosso mundo, constantemente vemos pessoas, amigos e irmãos, traindo uns aos outros para satisfazer a própria ganância... Por que há traições? Por que a ambição consegue ser tão forte ao ponto de sacrificar o amor tanto fraterno quanto romântico? Por quê? Por quê? Por quê? Eu admito sinceramente não entender isso — para mim nem a Kate Beckinsale, nem o prêmio da Mega Sena e tampouco o mítico pônei rosa vale mais do que a lealdade para com as pessoas que eu amo e a lealdade que elas têm para mim.

1360.
F: Mas eu quero um microfone.
PV: Você soou agora como uma criança que quer um doce que o pai não quer comprar.
F: (rindo) Ah, eu sou um crianção, faz parte do meu charme.

1359.
J(p): (com a mão esquerda imitando uma pistola, “dispara” em minha direção).
F: (sem reação).
J(p): O que aconteceu com aquele cara que fazia de tudo uma brincadeira?
F: (fazendo a cara perfeita) Pelo visto você não notou o campo de força ao meu redor.

1358.
Co: Ei, falando sério, você ainda gosta dela?
F: Apenas quando eu me lembro dos bons momentos.

1357.
Co: Ah, te contei da última?
F: Não.
Co: Um “Pokémon”, como você diz, me parou na rua do nada e falou “Oi, garota bonita”.
F: E você, o que respondeu?
Co: “Você não me viu acordando”.
F: (risos) É uma visão dos infernos mesmo.
Co: (olhar maligno).
F: Mas, ah, quando você acorda, ainda é muito mais bonita do que muitas mulheres serão pelo resto da vida.
Co: (sorridente).

1356.
Co: Você vai acabar morrer fazendo isso [pegar a ex-namorada do namorado da Srta. Insegurança].
F: Morrer, minha querida? Ora, será a última coisa que eu farei!
Co: O Harpo [Marx] é o melhor.
F: Nunca será. Groucho [Marx] é [um comediante] insuperável. Não há como competir com aquele bigodão tosco dele.

1355.
Co: Então, qual é o plano?
F: Plano A: dia [número] um, ir ao Impacto e aprender a rotina da menina, dia [número] dois, confirmar a rotina dela, dia [número] três, criar uma situação inusitada para conhecê-la, dia [número] quatro, encontrá-la “coincidentemente” outra vez e chamá-la para sair, preciso contar o resto?
Co: Não, mas e se ela recusar?
F: Daí eu vou colocar as mãos no bolso, inclinar a cabeça um pouco para o lado, lançar um olhar de cachorro pidão e soltar um “Tem Certeza?”.
Co: (pensa por um momento) Olha, pode até funcionar, essa carinha que você faz é adorável, foi por causa dela que eu fiquei contigo.
F: Ah, obrigado... Eu acho.

1354.
Co: Eu tenho uma piada.
F: E eu tenho medo de escutá-la, mas, puxa, vamos lá.
Co: Um menino chamado Felipe...
F: (interrompendo) Sabe, a maioria das pessoas usa Juquinha...
Co: Um menino chamado Felipe esta no banho examinando os testículos, daí ele vai e pergunta à mãe: “Mamãe, isso aqui é o meu cérebro?”, a mãe olha e então responde: “Ainda não, meu filho, ainda não”.
F: (rindo) Sensacional.

1353.
F: Eu sou mal.
Co: (começa a rir histericamente).

1352.
Co: Eu já mencionei que você é surpreendente?
F: (empolgado) Não. Por que eu sou surpreendente?
Co: Porque é o único cara no mundo que conquista uma menina em uma semana e faz ela perder o encanto em uma hora.

1351.
F: Eu pareço o Ashton Kutcher?
Co: Só se eu parecer com a Amanda Peet.
F: (risos) Ótimo filme.

CONTO: Sábado (Eduardo & Mônica).

1 comentários:

Helder disse...

lealdade... sim sim... realmente tens cara de ser um amigo leal... algo louvavel em você meu caro =D

Postar um comentário