domingo, 31 de janeiro de 2010

11&1: O Número de Ocean



Uma pequenina homenagem a um dos meus primos favoritos. Muitos anos de vida!

01.
J(p): Vamos montar um grupo revolucionário para lutar pela libertação da Amazônia.
F: Sabe quando vamos assistir a um filme como, por exemplo, O Aviador e saímos do cinema cheio de empolgação querendo repetir aquilo na vida real, mas depois murchamos a bola?
J(p): O que que tem?
F: É assim como eu me sinto em relação ao seu plano.

02.
J(p): Ela não vai ficar com raiva por você ter desligado o celular na cara dela?
F: Ah, com certeza.
J(p): Então por que fez isso?
F: Porque eu prefiro levar uma esculhambação com força total do que duas com meia força.

03.
J(p): Eu não sei. Estou obcecado. É como uma aranha no sanitário lutando pela sobrevivência, ainda que você saiba que ela nunca sairá viva dali, meio que torce por ela durante um segundo.
F: Aí você dá a descarga.
J(p): Claro, afinal, é uma aranha.

04.
F: Você não acha que está sendo um pouco manipulador?
J(p): Não, eu tenho certeza de que estou sendo MUITO manipulador.

05.
*fim de festa, todo mundo cansado*
F: Ah, alguém conta uma piada, por favor.
Fa(i): (se levanta com um sorriso pateta abarrotado de empolgação no rosto).
J(p): Menos você.

06.
J(p): Não tem onde apoiar [o meu prato].
F: Peraí (pega um quadro do Queen e põe para servir de apoio).
J(p): (indignado) Esse quadro é uma raridade!
F: E agora também é um apoio. Legal, né?

07.
J(p): Então, a sua mãe colocou uma espiã na nossa sala [do cursinho para nos vigiar]?
F: Precisamente.
J(p): E o que faremos agora?
F: Não é óbvio? Descobriremos quem ela é, nos apresentaremos e, se possível, a faremos chorar para aprender a nunca mais se meter na vida dos outros.
J(p): Isso será, no mínimo, interessante.
F: Ora, e quando não é?

08.
F: Ele até pode não se encaixar na definição de herói da sociedade, mas ele é o herói que eu precisava. O herói que me ajudou a me recuperar do desastre que foi o meu quase pedido de namoro e que me deu esperança para tentar outra vez. Ele vive nas sombras. Seria ele um sonho? Verdade? Ficção? Condenação? Salvação? Ele é todas essas coisas e nenhuma delas. Ele é... O TAXISTA.
J(p): De quem diabo você está falando?

09.
F: UGA, UGA, UAG, UGA, UGA, UAG. UGA. UGA. UAA!
J(p): Que isso, homem? Tá tentando fazer chover?
F: (sincero) Não, não, tô estudando o código genético.

10.
F: Então, essa nossa parceria [para escrever um livro] vai pra frente?
J(p): Claro!
F: Beleza, eu serei o Homem de Aço [Superman].
J(p): Humm... E eu serei o Cara Que Só Falta Morrer Durante o Filme Para Prender um Palhaço [Batman].

11.
F: Aparentemente, a [censurado] e aquele “seu” menino de cabelo legal estão namorando.
J(p): Que legal! Olha a minha cara de quem se importa (sorriso sarcástico)!

12.
J(p): Vocês [moleques da rua detrás] podem me espancar, mas eu não arrasto o pé daqui [do meu lugar preferido na praça]!
F: Isso mesmo! Vocês podem espancar o meu primo, mas nós não sairemos daqui!

13.
J(p): Meu primo, o universo falou comigo ontem à noite.
F: Nós não teremos de construir um campo de baseball, né?

13.
J(p): The Mirror [“o espelho”] é pesado.
F: Sim, sim, principalmente o da [censurada], eita, coisinha difícil de carregar!
J(p): (com desaprovação) Péssimo trocadilho.

15.
F: Descobri quem será a minha próxima namorada.
J(p): Alguma menina branca que nem uma osga e com um cabelo tão escuro quanto à alma do Mengela?
F: (sorrindo) Precisamente.

16.
J(p): Estarmos aqui no carro fez me lembrar daquela cena do carro no Gênio Indomável, o [censurado] é o Ben Affleck, o Felipe é o Matt Damon e o [censurado]² é o cara de cabelo preto.
F: E você é o cara que não faz nada no filme todo.
J(p): D’oh!

17.
J(p): (fazendo uma citação) “Quase morrer não muda nada, morrer muda tudo”.
F: Essa é a assinatura do e-mail dele.

18.
F: Qual é o filme que com certeza iremos assistir em 2010?
J(p): Não sei.
M(p): God of War?
F: Não, Prince of Persia.
J(p): God of War só vai lançar lá pra 2012, isto é, SE o mundo não acabar até lá. Ah, não. O mundo só vai acabar no dia 21 de dezembro às 12 horas. Legal, né? O mundo vai acabar no Japão, mas ainda teremos doze horas de vida, poderemos ver as filmagens dos desastres no Youtube.

19.
J(p): Você tá estranhamente quieto, aconteceu alguma coisa?
F: Não, não, tô apenas com saudade de uma pessoinha, Mary.

20.
J(p): Então, mesmo depois de tudo que aconteceu e que provavelmente acontecerá, você vai continuar tentando?
F: (sorriso de pierrô) É como na música: Try, Try, Try.

21.
F: Primeiro o cara compra o comprido, quebra-o, põe o pozinho numa colher, esquenta com um isqueiro, daí põe o líquido dentro de uma seringa e insere a heroína no braço, fica doidão em quatro minutos.
J(p): Como diabos você sabe disso?
F: Uma garota me mandou um clipe em que mostrava isso. Além do mais, isto é, de certa forma, conhecimento químico, então eu preciso saber.

22.
M(p): Ela [uma menina linda do cursinho] tem muito peito, mas pouca bunda.
J(p): Ah, mas hoje em dia você pode comprar bunda.
M(p): E peito também.
F: E, infelizmente, também pode comprar uma pá.

23.
J(p): Olha, não é querer ser arrogante nem nada parecido, mas olha como a qualidade do nosso almoço tá decaindo: começamos na Bob’s e agora estamos almoçando no posto, daqui a pouco vamos comer o completo aqui da esquina.
F: Você quis dizer “compreto”, meu primo.

24.
M(p): Qual é o processo [de estudo] de vocês?
F: Você realmente quer saber?
M(p): Claro.
F: Bem, começa com alguém gritando “Holla” e termina conosco no PS3.
J(p): E se sobrar um tempinho, eu gosto de gritar “Thundercats, ho-oh!”.

25.
M(p): Eu fico pensando em pegar as duas [as gêmeas] ao mesmo tempo.
J(p): Isso seria incesto.
F: De onde eu venho o nome disso é sacanagem mesmo.

26.
F: Aquela dali não é a menina que vez ou outra esta entre os primeiros nos Simulados?
J(p): É ela mesmo. As aparências enganam, né?
F: Se enganam! Puxa! Ela é a mulher perfeita! Inteligente, linda e beberrona!

27.
J(p): Por que você não veio ontem [para a aula]?
F: Complicações acontecerem, continuaram e foram superadas.

28.
F: Sabe, eu não vou mentir, sou um cara inteligente, esperto e sábio, mas às vezes consigo ser tão burro quanto um pedaço de madeira.
J(p): Por que diz isso?
F: Porque cá estava eu dando uma olhada nas universidades que aceitaram o ENEM como Vestibular único e notei que a UFCSPA, Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre, tinha aceitado, daí fui no Google e digitei o nome da universidade para ver donde ela ficava.

29.
F: (entediado) Duvido você me provar que essa cadeira (aponta) não existe.
J(p): (fazendo a cara perfeita) Que cadeira?

30.
F: Ah, o que é isso?
J(p): Bolo de chocolate.
F: Quem come bolo de chocolate às 10h da madrugada?
J(p): Pessoas que gostam de bolo de chocolate.

31.
J(p): E agora vou comer o meu TRIPLE X.
F: Oh, e agora quem fará o Kratos no filme do God of War?

32.
M(p): (usando um sapato que mais parece uma meia).
F: Ei, [meu primo], por que você esta usando um sapameia?
J(p): Ou seria uma meiapato?

33.
F: E aí, como foi a aula de hoje?
J(p): Cara, eu só fui para o segundo horário. Ecologia, eu me garanto estudando só. História, já basta a minha vida.

34.
J(p): Ah, tenho boas e péssimas notícias, qual começo?
F: Péssimas.
J(p): Humm... Na verdade, só tenho péssimas notícias, mas a frase tinha que ficar bacana.
F: Ah, qual é!

35.
F: Por que você não vai lá falar com ela [menina que, na ocasião, estava sentada ao meu lado]?
M(p): Porque ela não gosta de falar, ela gosta de prestar atenção na aula.
J(p): Se o Tom Cruise viesse falar com ela, acha que ela prestaria atenção na casa?
M(p): Mas aí são outros quinhentos...
F: Que nada! Tenha o charme do Tom Cruise e vá falar com ela (piscadela).

Um comentário: ele NÃO foi falar com ela.

35.
J(p): Você é muito autoconfiante.
F: Claro, ora! Se eu não confiar em mim, quem terá a coragem de confiar?

36.
Lc: Ei, você soube o que aconteceu com o [nosso antigo professor]?
J(p): Não, não.
Lc: Ele foi assaltado: lincharam–no e levaram o carro dele.
J(p): Coitado, ele é gente boa.
F: Coitado de mim que nem carro eu tenho!

37.
F: Seguinte, eu tenho duas coisas para te dizer: número um, de modo algum use o terceiro box do banheiro [daqui do Universo].
J(p): Certo. Número dois?
F: Exatamente.

38.
F: (maquiavélico) Ei, meu primo, não quer tirar uma foto da minha falta de interesse na aula?
M(p): (todo sorridente, pega o celular e bate a bendita foto, então entrega o celular para eu dar uma olhada na mesma).
F: (olha a foto e depois devolve o celular).
J(p): Pra que essa foto?
F: (sussurrando) Pra descobrir se a menina que tá sentada aqui do meu lado é bonita ou não sem ter que me virar para ela.
J(p): Boa!

39.
F: Eu não sei o que é mais triste: essa aula de Geografia ou o fato de o [nosso primo] ter parado de falar com a amiga dele para falar conosco.
J(p): Eu apostaria na segunda opção.

40.
F: Me conte uma história que prove que ela [sua amiga de escola] é mesmo uma porra louca.
J(p): Ela enfiou um compasso na perna do [meu amigo].
F: Ah, com certeza ela teve um motivo para fazer isso, digo, ele deve ter chegado nela e dito algo como “Ei, quer transar?”.
J(p): Foi justamente isso que ele disse!
F: Uh, caramba!

41.
J(p): Espero que eu também passe nesse Vestibular [de agora].
F: Eu não vou dizer para você ter fé, nem para ter esperança, ou qualquer coisa do tipo... Meu primo, eu vou dizer para você ter absoluta certeza: nós iremos passar esse ano!

42.
Mãe: Cadê a tua mãe, [meu sobrinho]?
J(p): Tá matando uma galinha.
Todos: (espantados) Matando uma galinha?
Mãe: Como assim?
J(p): Eu liguei pro papai e ele disse que ela estava matando uma galinha lá na frente com a vizinha.
Mãe: “Matando uma galinha” quer dizer “fofocando”!
F: Ah, claro, “matando uma galinha”, “fofocando”, sim, eu posso enxergar a relação.

43.
F: Sabe quando eu me sento aqui e te falo coisas sobre pessoas que você não conhece e que não tem interessam?
J(p): Sei.
F: Pois é, este é um daqueles momentos.

44.
F: Eu tô com fome e com dinheiro, mas tô morrendo de preguiça de entrar [na loja de conveniência] e comprar alguma coisa.
J(p): Eu queria ter a fome e o dinheiro.
F: Mas você tem a fome!

45.
J(p): (com fome) Eu queria um combo [da Bob’s].
F&R(p): (espancam o primo).
F: Kamehameha!
R(p): Hadouken!

46.
Br: Eu conheci o [censurado] por causa do [censurado]².
F: [censurado]²?
Br: Sim, o amigo do [censurado].
F: Peraí, o “super amigo” do [censurado]?
Br: Ah, então você sabe?
F: Sei, sei.
J(p): Ei, eu quero ter um “super amigo”.
F&Br: Não, você não quer.

47.
J(p): Eu acabei de prometer que dançaria forró se passar no Vestibular.
F: (cruzando os dedos) E eu nunca torci tanto quanto agora para você passar.

48.
J(p): Não tem jeito, os russos sempre irão sair na frente dos americanos, seja em ideologias, armamento ou em seleção de futebol. Não concordo com nada do que disse, mas precisava de uma frase boa.
F: (risos).

49.
I: ... Às vezes, eu me sinto mais confortável com o [teu primo mangalóide], por conhecer ele a mais tempo, do que contigo.
J(p): Eu mordo.
I: (risos).
F: É sério. Ele morde.
I: (sem graça) Ah.

50.
J(p): Minha nova banda favorita: Musetta.
F: Você pode ter uma ideia muito errada sobre essa banda caso leia o nome dela depressa.

51.
F: Que você esta fazendo acordado? É sábado, não tem aula, vai dormir!
J(p): É verdade. Ah, quase ia me esquecendo, hoje é sábado, não tem aula, vai dormir.
F: (rindo) O sujo falando do mau-lavado!

52.
F: Ela implica com ele como se fossem irmãos.
J(p): Bem, não tenho irmã. Aqui implicação é na porrada.
F: Lembrei do “Clube da Luta”.

53.
J(p): Eu tenho HORROR a todo tipo de preconceito. Ah, bem...
F: (risos) Preciso nem dizer que isto será cronicado, né?

54.
J(p): Mas também não quero que a [censurado] fique puta comigo. Posso ganhar coisas através dela ainda.
F: Você sabe que isso soou muito errado, né?

55.
J(p): Eu — AINDA BEM — sou o tipo de pessoa que tem sorte no jogo.
F: Uma pessoa muito querida que, infelizmente, não faz mais parte do meu mundo, escreveu o seguinte em um conto: “Vincent tinha sorte no jogo, uma maldição para ele, pois para aqueles que sempre têm a combinação certa para ganhar a partida, não há nada além de azar no amor”. Óbvio que eu não acredito naquele ditado de “sorte no jogo, azar no amor”, mas me deu vontade de comentar esse escrito.

56.
F: Estou triste. Quero um abraço. Cadê a [censurado]?
J(p): Estou confuso: é [Srta. Insegurança] ou [censurado]?

57.
J(p): Eu não tô com pena, não. Quando eu me dou mal, ele me trata do mesmo jeito [com grosseria]. Serei assim também.
F: Humm... Eu tenho uma dificuldade enorme em tratar mal as pessoas. Não sei xingar.
J(p): Nem eu. Na verdade, odeio xingar. Prefiro mostrar a realidade.
F: Que, normalmente, é feia, mas continua sendo o único lugar onde você pode encontrar uma Coca-Cola Zero gelada, uma boa família e amigos e uma linda mulher.

58.
J(p): Eu tava pensando aqui... Por que será que a [censurada] só quer pôr silicone depois de ter filhos?
F: Se ela tiver o mesmo pensamento que uma amiga minha, é por causa da coluna: peito siliconado mais gravidez é igual a dois ovos de dinossauro. Não que haja algo de errado com isso.

59.
F: Enfim, caramba, eu já mencionei que essa menina é LINDA?
J(p): Já.
F: Pois falarei de novo: QUE MENINA LINDA!

60.
F: É por isso [para não ficar parecendo um ET] que eu não pretendo raspar a cabeça [quando passar no Vestibular].
J(p): (maligno) Ah, mas isso vai ser inevitável já que força física não é uma de suas virtudes.
F: Tá brincando? Eu vou fugir para o Paraguai!

61.
J(p): Estou com sono e não quero dormir. Não tem nada químico para me manter acordado. O que devo fazer?
F: Ocupar-se conversando ou jogando PS3.
J(p): Tô enjoado do PS3.
F: (cai da cadeira) HEREGE!

62.
F: Cuidado. Esse cara [o amigay da mulher que te interessa] vai querer te ferrar.
J(p): Que nada. Gente boa, ele. Mas é amigay.
F: Minha experiência com amigays: eles SEMPRE vão tentar te FERRAR.

63.
J(p): Eu faço parecer que sou exótico, eu vejo as pessoas com quem ela [a mulher que me interessa] convive, e faço parecer o oposto de tudo, e novidade é novidade. Eu sempre consigo assim.
F: Esse é um truque muito baixo. Gostei.

64.
J(p): Eu sei que o Gordon faz planos, o Batman faz planos, a polícia faz planos, mas e você, fez o plano da sua vida?
F: Sim. Só que o meu não esta saindo como planejado.
J(p): (risos).

65.
F: OK, para TUDO! O amigay da [Srta. Insegurança], o [Viadinho], entrou no meu Orkut e uma menina que eu conhecia na 3ª Série me adicionou no Orkut!
J(p): Manda o [Viadinho] à merda, e se essa menina for bonita... Enjoy.

66.
J(p): (contando uma piada) Por que o fio elétrico da tua casa não é preto?
F: Eis uma pergunta cuja resposta nunca me interessaria, então: não sei.
J(p): Porque se ele fosse preto, roubaria energia.
F: Digno de e-piadas.

67.
J(p): Sabe onde fica um lugar chamado “El Bandoleiro”?
F: Ah... México?

68.
J(p): (no telefone).
F: (sem prestar atenção).
J(p): (desliga o telefone).
F: Então, quem era?
J(p): Era a [mulher em quem estou interessado].
F: Hum... Fico feliz. E como vai estragar a relação com ela?

69.
Lc: Eu quero arranjar uma mulher para viver comigo até os setenta anos.
J(p): Credo, bicho, e quando você fizer setenta e um [anos]? Vai ficar solitário, hein.
F: (rindo) Ele tem um ótimo ponto.


70.
M(p): Eu sonhei que fazia um rato voar.
J(p): O quê? Sonhou que pegou um morcego e jogou ele pra cima?
F: (rindo) Esse manja!

71.
J(p): Como eu faço para esquecer o inesquecível?
F: Parando de tentar esquecê-lo, quando perceber, terá parado de pensar nele.
J(p): Boa resposta.

72.
J(p): Eu queria ter a tua disposição.
F: Produto do meio, meu primo. Eu sou um rei, caso não tivesse determinação, confiança e disposição sem fim, que “súdito” teria coragem de me seguir?

73.
J(p): Preciso de um terno.
F: OK, você é um homem adulto que NÃO tem um terno? Isso só é válido se você for o Matthew McCounaughey.

74.
F: Eu vou pra reunião da minha turma de 8ª Série no sábado.
J(p): Minha turma fez isso ano retrasado, mas, infelizmente, eu estava viajando em casa.
F: Tua cara.

75.
F: (reclamando) Ah, droga, vou ter quer acordar cedo pra fazer exame [de sangue].
J(p): Fica [acordado] direto.
F: Ao invés de uma resposta original, posso te oferecer uma citação?
J(p): Pode.
F: “A melhor maneira de resistir a uma tentação é entregando-se a ela”. No caso, a tentação é o Cup Noodles e a Coca-Zero gelada que estão na cozinha.
J(p): Diga isso ao amigo do papai que perdeu toda a fortuna no jogo (piscadela). OK, entendi, pegarei o meu biscoito também (envergonhado).

76.
J(p): Aff, você é foda, Felipe. Não cita mais as comidas que você tem aí, por favor. Me deu vontade de comer Cup Noodles e ficarei na vontade (triste).
F: (risos).
J(p): É sério, bicho. Tô com uma fome do cão aqui.
F: Pior sou eu! Tô com comida aqui e não posso comê-la.
J(p): Queria um teletransporte agora.
F: Oh, onde estão os Yardrats quando precisamos deles?

77.
J(p): Impossível.
F: Até no imPOSSÍVEL há um POSSÍVEL.

2 comentários:

João Arêas disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
João Arêas disse...

Obrigado pela lembrança.

PS: O único lugar que eu lembrava de ter status de favorito era na lan house. Isso porque eu financiei os sapatos caros da dona.

:\

Postar um comentário